COMO ESCOLHER O ESPUMANTE DO CASAMENTO – Casa MentosCasa Mentos

COMO ESCOLHER O ESPUMANTE DO CASAMENTO

12.07.2016

Como-escolher-o-espumante-ideal-para-o-casamento

espumante sempre marca presença em grandes comemorações, uniões e, claro, na celebração de grandes conquistas, não é mesmo?!

Abrir uma garrafa de espumante não é abrir uma garrafa qualquer, não. Ela tem um significado muito maior: a alegria da vida!! Vamos ser sinceros, o tim-tim e a foto do brinde não seriam as mesmas coisas sem a bebida borbulhante dentro das taças! Quem concorda?!

A bebida, que é sinônimo de classe e bom gosto, também tem um lado complexo que nos deixa cheia de dúvidas na hora de comprar. Mas vai muito além de uvas e sabores!

A pergunta que fica é: como escolher o espumante ideal para combinar com os pratos que serão servidos na sua festa? Hmm… Vamos ver?!

Aqui no post de hoje, vamos te ajudar a chegar no espumante ideal para sua festa!

Não temos como, é claro, apontar qual é o melhor, afinal isso dependerá do perfil que foi escolhido para sua comemoração. Então vamos lá para a dica do espumante para que você possa ver as melhores opções!

Ah, mas, antes de tudo, é bom conhecermos melhor o produto que estamos prestes a comprar, né? Então vamos apresentar os tipos de espumante mais comuns no mercado para começarmos a nos familiarizar com os nomes, qualidades e diferenças de cada um.

 

OS TIPOS DE ESPUMANTE:

 

ESPUMANTES são TODOS os vinhos que sofreram duas fermentações naturais, produzidos em qualquer lugar do mundo, com qualquer uva. A primeira é a fermentação alcoólica, comum de todos os vinhos, que transforma o açúcar da uva em álcool e que ocorre em tanques ou barris de carvalho. A segunda, onde o espumante adquire a efervescência, tanto pode ocorrer em tanques de aço inox pressurizados (método charmat) como podem ser feitas na própria garrafa (método champenoise ou tradicional/clássico)

CHAMPANHE (ou champagne) é o espumante mais famoso do mundo e nasceu na França. Tradicionalmente, as melhores bebidas desta categoria ainda são produzidas por lá e utilizam somente as uvas chardonnay, pinot noir e pinot meunier. A bebida que precisa de muito biquinho para falar, geralmente é seca, cremosa e refrescante!

Se o espumante for produzido na região de Champagne (150 km de Paris), então ele é um Champanhe. Caso não seja produzido nessa região, receberá outro nome.


 

Já a CAVA é feita na Espanha e um fato muito interessante é que as uvas que a compõem só vêm de vinhedos selecionados! Chiquérrimo e muito sofisticado, esse espumante geralmente é leve e fresco.


 

ASTI ou MOSCATEL é um vinho espumante mais adocicado, com baixo teor alcoólico, elaborado com a uva moscato, produzido exclusivamente na Itália.

É tradicionalmente feito de com um método mais específico, com uma única fermentação em tanques com retenção do gás carbônico liberado. A fermentação, na produção do asti, é interrompida por resfriamento assim que são atingidos os teores adequados de álcool e de açúcar, que ficam em torno de 7 a 9 Gl e de 3,5%, respectivamente.


 

SEKT é o vinho espumante originário da Alemanha, que possui uma doçura típica da fruta com que foi produzido. O sekt de tipo seco é chamado de trocken.


 

PROSECCO, o queridinho das festas, nasceu no nordeste da Itália e para produzir essa delícia havia uma condição: a uva usada só poderia ser a variação da uva glera e levava o nome prosseco qualquer bebida que mantivesse essa condição.

No entanto, há alguns anos, a Itália, assim como fez a França no passado com seu champagne, editou lei alterando essa condição: o termo Prosecco fica reservado para a região italiana produtora do vinho, que além do Veneto agora também estão incluidas as áreas do Friuli. Dessa forma, proibe-se a utilização do termo prosecco para espumantes que não forem produzidos nessas regiões.

Porém, parece que a lei por aqui ai não pegou, sendo fácil encontrar “proseccos” nacionais vendidos nos grandes mercados e lojas especializadas.

O Prosecco legítimo é fresco, cremoso e aromático. Frutas e flores marcam presença em seu sabor.


 

Mas é sempre bom dizer que os ESPUMANTES NACIONAIS vêm garantindo espaço nas mesas de várias celebrações! Os maiores produtos nacionais vêm da região do Rio Grande do Sul, principalmente das cidades de Bento Gonçalves e Garibaldi, que têm grande tradição na produção de vinhos. Uma delícia!


 

VINHO FRISANTE é um produto com pouco gás carbônico, que é produzido naturalmente do processo de fermentação da uva, tendo praticamente a metade do gás carbônico encontrado nos espumantes. O frisante fermenta somente uma vez e é a partir dessa única fermentação que é produzido o gás carbônico. Os mais conhecidos frisantes são os produzidos na Itália, conhecidos como lambruscos.


 

Legal, agora que já estamos por dentro dos tipos de espumante, suas origens e diferenças, resta saber com qual tipo de comida cada um deles combina par que você possa arrasar em sua festa!

 

QUANTIDADE DE AÇÚCAR NOS ESPUMANTES:

 

Brut ou demi-sec?

A “dosage” é o último passo antes do arolhamento final. Trata-se da adição de uma pequena quantidade de “licor de dosage” ao vinho – também conhecido como “licor de expedição”. A quantidade da dosagem deve adequar-se ao estilo do vinho.

O licor de expedição contém geralmente entre 500-750 gramas de açúcar por litro. A quantidade adicionada varia de acordo com o estilo do champagne:

  • Doux (doce)– mais de 50 gramas de açúcar por litro
  • Demi-sec (meio seco)– 32-50 gramas de açúcar por litro
  • Sec (seco)– 17-32 gramas de açúcar por litro
  • Extra dry (extra seco)– 12-17 gramas de açúcar por litro
  • Brut – menos de 12 gramas de açúcar por litro
  • Extra brut – 0-6 gramas de açúcar por litro

(Via: Comité Champagne)

 

ESPUMANTE E COMIDA: QUAL COMBINA COM QUAL?

 

Cava leve: a bebida é ideal para ser servida com queijos e saladas crocantes (aquelas que levam alface americana ou romana, croutons, pepinos etc).

Moscatel: harmoniza bem com sobremesas e frutas.

Cava complexa: dê preferência a pratos que tenham manteiga na receita, assim como creme de leite e lácteos no geral. Outra opção é combinar também com peixes defumados e sabores trufados!

Prosecco: Ideal para ser servido com pratos leves, como ceviches. Ao passo que também combina com frios, como o salame.

Espumantes brasileiros: contrastes de doce e salgado, como risoto com queijos fortes e saladas com frutas e queijos.

Champanhe: Assim como a Cava Complexa, que citamos logo no início da lista, a Champanhe também combina com pratos que levem manteiga, creme de leite e lácteos no geral, além de peixes defumados e sabores trufados.


E se quiser ficar por dentro das quantidades médias de bebidas necessárias para servir cada convidado, dá um pulo nesse nosso post. Contamos tintim por tintim lá.


Agora que você já sabe tudo sobre espumantes, é hora de partir para sua escolha! E, claro, não podemos deixar de falar: no serviço de buffet da Casa Mentos, você pode contar com nossa orientação para que absolutamente tudo, do início ao fim, fique perfeito na sua festa!